quarta-feira, 6 de março de 2019

Estive grávida mas já não estou


Pela primeira vez na vida estive grávida, pela primeira vez na vida tive um teste positivo, pela primeira vez na vida flutuei de felicidade. 

Fiz uma nova transferência e fiquei grávida.
Estava grávida de seis semanas e perdi tudo. 

Depois de tantos anos a tentar, pensei mesmo que ia dar certo.
Depois de tantos anos a tentar,  pensei que esta era a minha vez de ver a barriga a crescer.

Estar grávida e deixar de estar é ter o coração partido em pedacinhos.

Agora é esperar que o melhor ainda esteja para vir ♥

31 comentários:

Love Adventure Happiness disse...

Acredito que seja terrível! Mas considera um passo em frente! O teu corpo tem a capacidade de implantar um embrião, de o carregar, algo faltou mas podem daí vir novos dados para o próximo tratamento... Num blog que sigo isso aconteceu e na vez seguinte foi bem sucedida até ao fim.
Tem esperança! Aqui deste lado vai muita força e energia positiva...

Procura dentro de ti disse...

Vim só deixar um beijinho muito grande e um abraço apertadinho.

<3

м♥ disse...

Suspeitei que sim pelos teus posts e publicações no instagram e estava mesmo desejosa que fosse verdade e tudo corresse bem. Que pena que ainda não foi desta! Contudo, acho que podemos ver isto de fora positiva: conseguiste engravidar uma vez, pode ser que consigas novamente! Espero mesmo que sim, do fundo do coração. Há-de chegar a tua vez.

J* disse...

E quando lemos testemunhos como este inevitavelmente também ficamos com o coração em pedacinhos.
O melhor ainda vai chegar!
https://jusajublog.blogspot.com/

Mel disse...

Que seja uma esperança! ♥

Mylittlefairytale disse...

Oh Maria...
como sabes também sofri uma perda gestacional... foi a maior provação que a infertilidade me trouxe. E esses percalços nada têm a ver com à infertilidade...

Beijinho grande e muita força agora... aos poucos aprende-se a viver com essa perda

Anónimo disse...

Um abraço do tamanho do mundo, muita força e esperança ❤️

Elvira Carvalho disse...

Sei como se sente. Quando era jovem, quis tanto engravidar, que desenvolvi uma gravidez psicológica. Não era real, mas na minha cabeça era. E no meu coração.
De todo o coração desejo que consiga ultrapassar essa dor. E não deixe de acreditar que é possível. Tem muitos anos pela frente e cada vez há mais e mais eficazes tratamentos.
Abraço

Maria João disse...

Não posso deixar de comentar pois já estive precisamente nessa posição em que estás agora e acho que nestes momentos é importante sabermos que não estamos sós e que mais pessoas (infelizmente) passaram por isso e que sabem perfeitamente o que estamos a sentir.
A minha primeira transferência resultou em gravidez e tudo se desmoronou na 2ª consulta de gestação (na primeira tínhamos visto apenas o saco gestacional e a vesícula vitelina), quando o médico percebeu que o embrião não se estava a desenvolver como o esperado. Foi um dos piores dias da minha vida. Já passaram dois anos e ainda hoje me recordo daquele embriãozinho que tanta felicidade me deu e para o qual eu já tinha tantos planos. Para mim, perdi um filho, ainda que nunca o tenha conhecido fora da minha barriga.
Mas este comentário não serve para dizer que tudo é mau e que a vida é injusta (porque é!) mas que aos poucos e poucos a minha vida foi voltando ao normal, ainda que tenha ficado com marcas emocionais do que aconteceu.
Tive que tentar racionalizar muita coisa para conseguir lidar com o que me aconteceu.
No nosso caso, um grande erro foi cometido: cada um sofreu para seu lado e isso não foi bom! Eles querem ser sempre os fortes, aqueles que nos protegem e não dão espaço a irem abaixo, pelo menos à nossa frente. Por isso aqui fica o meu conselho após o que vivi: enquanto casal, falem, conversem, chorem juntos por esta injustiça que vos aconteceu mas sempre com a esperança que melhores dias virão e que a vida, ainda assim, tem momentos maravilhosos.
Peço desculpa pelo enorme testamento mas ele não chega nem um bocadinho para explicar tudo o que senti quando passei pelo que estás a passar mas quero deixar aqui um grande beijinho de força e dizer-te que continues a lutar pelo teu sonho*

TheNotSoGirlyGirl disse...

oh não :(
fingers crossed! eu sei que vais conseguir <3
TheNotSoGirlyGirl // Instagram // Facebook

Titica Deia disse...

Que se pode dizer mais? Lamento muito e gostava que não perdesses a esperança!

Russa Loirinha disse...

Eu não sei explicar o quanto desejo que consigas ter um bebé. Sigo-te há um par de anos e sempre o desejei por ti, mesmo quando eu nem pensava em ser mãe. No ano passado comecei a pensar a sério nisso e neste momento estou grávida de 10 semanas. O medo de acontecer alguma coisa (ainda que não tenha antecedentes disso) é muito e por outro lado penso tantas vezes em ti, mesmo sem te conhecer. Penso tantas vezes que eu consegui rapidamente e tu que desejas tanto, há tantos anos ainda não conseguiste - é tão injusto - quem me dera conseguir fazer alguma coisa por isso!
Desejo mesmo que consigas numa próxima - e pensa que muitas mulheres (sem qualquer problema de infertilidade) acabam por abortar antes das 12 semanas - por isso, há que ter fé que vais conseguir na próxima!
Um abraço apertado

Cynthia disse...

Oh, que desespero :( é horrível perdermos um bebé, querida, mas muita força!! Vais conseguir 😘

Sónia RM disse...

Um beijinho carregado de força! Dói muito!
Se achares que precisas de ajuda para ultrapassar esta perda, pede ajuda!

PL disse...

Como certamente sabes, por quatro vezes passei pela vã esperança de que as gravidezes iam resultar. Penso frequentemente nas alturas em que deveriam ter nascido, comemorado aniversários ou no que seria a nossa vida se as coisas tivessem tomado outro rumo. A realidade é que quando olho à minha volta só vejo papeis com protocolos, relatórios de tratamentos falhados, seringas, agendas com dezenas de ecografias e consultas marcadas, comprimidos e os nossos braços vazios.
Não se esquece, gera-se revolta. Nem todos vão compreender a tua dor.
Depois de algo desta dimensão, cada nova gravidez traz a sombra do que aconteceu no passado. É difícil ter o atrevimento de sentir felicidade, porque pensa-se que a qualquer momento tudo desaba.
Conheço a tua dor, sinto-a todos os dias. Permite libertar o que o teu coração está a sentir, não te proíbas disso.

Um beijinho muito grande, Maria!

Meu Velho Baú disse...

Um beijinho minha querida
Não foi desta mas um dia será....

Anónimo disse...

Um abraço apertadinho, mesmo que virtual ♥

Green disse...

Lamento muito, mas tu mereces que coisas boas te aconteçam e certamente irão acontecer. Força*

marina maia disse...

Só para te deixar um beijinho e dizer-te que tudo vai correr bem, é o meu desejo.

Anónimo disse...

Olá Maria, há uns dias que não vinha ao teu blog e é inevitável não ficar triste. Queria dar te um abraço de muita força e fé. Um beijinho grande, MandP

Anónimo disse...

Lamento muito. Já passei por isso e sei o quanto dói. mas sei também que melhores dias virão, vêm sempre.
Força!
Filipa

Paris Toujours disse...

Mas que pena, lamento muito.
Acredito que este é um sinal de esperança, de que é possível.
Nunca baixes os braços, levanta-os bem alto juntamente com o teu marido.
Vão conseguir, de certeza que sim.
Um beijinho e FORÇA!

Catarina Vasconcelos disse...

Li isto e dei um murro na secretária. Não sei se isto serve de consolo ou apoio, mas acredito, acredito muito, que dias melhores virão. Não consigo dizer mais nada, apenas deixar-te um beijinho muito grande e uma dose de esperança**

Catarina disse...

Força minha querida . Estou aqui do teu lado a torcer por ti ♥️

A Tulipa Azul disse...

Um beijinho muito grande e o melhor ainda está para vir 😉

S* disse...

Oh minha querida... bem sei que parece muito negro, mas é sinal que o teu corpo é fértil. Agarra-te a essa esperança!!!

Marisa disse...

Muita força. De certo que o melhor está por vir e tudo irá correr. Beijinhos 😙

Coquinhas disse...

Caraças Maria, não nos conhecemos mas desejo tanto mas tanto esse teu positivo. Agora fiquei triste, mas continua a acreditar. Eu acredito contigo. Força

Dream disse...

Lamento muito minha querida
Não mereciam mais este sofrimento
É uma implantação e isso é muito bom, apesar do desfecho terrivel
Força

Inspired disse...

As minhas duas últimas gravidezes tiveram o mesmo desfecho. :( É difícil os outros conseguirem perceber a dimensão de uma perda destas, mesmo que tão cedo. Tudo passa, nada se esquece. Muita força, irás conseguir! Acredita sempre.

Anónimo disse...

Uma amiga minha, também com dificuldades, e ao fim de 7 anos, conseguiu engravidar por inseminação. Perdeu às 20 semanas. 6 meses depois, nova inseminação: tem uma menina linda a caminho dos 4 anos <3
O teu dia vai chegar, ai vai! <3
Cheila