terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Endometriose

"A endometriose é uma doença enigmática, cuja origem parece ser multifatorial, e que atinge a mulher durante a sua vida reprodutiva, desde a primeira menstruação à menopausa. Pode limitar a qualidade de vida da mulher, assim como a sua capacidade de engravidar. 
A endometriose é uma doença crónica que resulta da presença de tecido endometrial – a mucosa que reveste a parede interna do útero – fora da cavidade uterina (endométrio ectópico). No entanto, durante o ciclo menstrual comporta-se  como se estivesse dentro do útero e as suas células, glândulas e vasos sanguíneos proliferam. No cataménio (menstruação), o endométrio descamado é eliminado na forma de fluxo menstrual; em simultâneo o endométrio ectópico também descama nos diferentes locais onde se encontre, associando-se-lhe sintomas provocados por essa pequena hemorragia interna.

1. Onde se localiza?
Em 93% dos casos localiza-se na zona pélvica, ou perto, mas é possível  encontrar  nichos deste endométrio em outras localizações:
  • Parede do útero;
  • Trompas de Falópio;
  • Ovários;
  • Bexiga;
  • Intestinos;
  • Umbigo, nariz, pulmão, etc…

2. Como é feito o diagnóstico?

A endometriose é diagnosticada tendo em conta a simultaneidade do fluxo menstrual com as queixas apresentadas, qualquer que seja o órgão afetado. Quando existe necessidade absoluta de diagnóstico pode haver necessidade de recurso a técnicas mais invasivas, normalmente cirúrgicas: laparoscopia por exemplo, e outros exames como colonoscopia. O ideal é que a mulher seja observada cerca de 3 a 4 dias antes do período menstrual. 

3. Sintomas frequentes
  • Dores menstruais
  • Dor pélvica crónica (há mais de 2 meses, num ano);
  • Cãibras uterinas.
  • Dor durante o ato sexual
  • Perdas de sangue
  • Menstruação abundante
  • Problemas intestinais e urinários: retorragias, hematúria;
  • Náuseas;
  • Saciedade precoce
  • Disquesia (dificuldade em evacuar)
  • Disúria (desconforto ao urinar).
4. Qual a relação entre endometriose e infertilidade?
Uma vez que afeta cerca de 10% das mulheres em idade reprodutiva (1​5-40 anos), influencia a fertilidade.
Cerca de 60% das mulheres em reprodução medicamente assistida sofrem de endometriose. As aderências e o processo inflamatório decorrente de produção de prostaglandinas e citocinas pelo endométrio ectópico geram infertilidade por alteração da permeabilidade tubar e barreira àcaptação do óvulo.

5. Tratamento
Apesar de não ter cura, a patologia pode ser controlada. Em pacientes que não pretendem engravidar, a pílula é um excelente método que irá contribuir para a atrofia do endométrio, diminuindo deste modo a progressão da doen​​ça e intensidade das queixas.
Na mulher grávida a doença desaparece, reapa​recendo depois.
Em alguns casos de endometriose do ovário, do septo retovaginal e de fenómenos aderenciais que possam gerar quadros  suboclusivos, pode estar indicado o recurso à cirurgia laparoscópica.
Os inibidores das prostaglandinas, como os anti-inflamatórios, são arma excelente para alívio da dor e desconforto pélvico."

Ter dores fora do normal, desconforto ou outro sintoma que não passe com um simples analgésico não pode ser normal e precisa de ser acompanho e tratado.

15 comentários:

Alice disse...

Conheci no último tratamento de fertilidade uma mulher que tinha endometriose severa. Está grávida de gémeos.Portanto não é impossível engravidar.

Se sofres de endometriose e sabendo que tens muita vontade de ser mãe e isso ainda não aconteceu, procura ajuda o quanto antes. Tudo pode ser possível desde que tratado o mais cedo possível.

Boa sorte - tanta quanto a que desejo para mim.

beijinho

TheNotSoGirlyGirl disse...

Sofres de endometriose? oh :/
bem, a esperança é a ultima a morrer e eu acredito que quando uma pessoa quer mesmo muito uma coisa, consegue sempre, de uma maneira ou de outra! :)

boa sorte e pensa positivo! beijinho!
the-not-so-girlygirl.blogspot.com

м♥ disse...

O lado positivo disto tudo é saber o que se tem e como tratar! Não saber os porquês custa muito mais, assim estás munida de conhecimentos sobre o que fazer a seguir. Desejo-te a maior sorte do mundo, acredito que conseguirás o que tanto desejas!

carla capricho disse...

Tenho adenomiose - é mais ou menos parecido e sei que não é fácil . Boa sorte e pensamento positivo SEMPRE :)

Anónimo disse...

Alguma info aqui:
http://vidassemgluten.blogspot.pt/2014/07/doenca-celiaca-e-endometriose.html

Mamã Iogurte disse...

Tudo é possível...acreditar é a palavra de ordem se for o caso!
;)

Sophie Tudela disse...

Isto para quem é Hipocondriaco não é bom ler......


Beijo,
www.wordsofsophie.com

Catarina disse...

A endometriose é uma doença tramada e ainda um pouco 'desconhecida' e olhada de lado, infelizmente. Acho que deveria haver mais informação e mais testemunhos sobre essa doença. Viver com uma doença crónica é do caraças. Muita força e não percas a esperança. Conheço alguns casos de mulheres com endo que conseguiram ser mães. Não é fácil, mas é possível! Força**

Shinobu disse...

Uma prima minha sofre do mesmo problema e depois de tratamento de fertilização conseguiu engravidar recentemente...
A minha irmã não têm esse problema, mas têm ovários poliquisticos e também está com dificuldades, já fez tratamentos que infelizmente falharam.
É injusto dizer isto, mas as vezes vejo amigas minhas a engravidarem com tanta facilidade e a minha irmã com tanta dificuldade que me dá um pouco de raiva.
Infelizmente nem todos temos a mesma sorte.

Força querida.

Tania Simoes disse...

Sei tão bem o que isso é... Há 7 anos que fui diagnosticada com endometriose severa. Depois de muitos exames especialistas e pequenas cirurgias desisti de tentar engravidar. Se vier veio, se não vier não serei menos mulher ou menos feliz por isso. <3
Tânia Kinhas!

disse...

Desconhecia totalmente esta doença :|
Deve ser muito complicado. Força querida e pensamento positivo *

Ana Couceiro disse...

Parabéns pela tua coragem! Por partilhares e por falares sem medos das coisas.. É necessário e tenho a certeza que também te fará muito bem :)
Tudo irá passar!
Um beijinho*

Emma disse...

Força! Acredito que não seja fácil mas há mulheres que conseguem engravidar mesmo tendo endometriose.
Boa sorte*

AMOR XXS disse...

Se for esse o problema, já têm meio caminho andado para a concretização do sonho, agora que descobriram a causa, é só começar o tratamento e fazer figas para que tudo corra bem. Sei que não é assim tão simples, mas ao menos conhecem o motivo e podem ir à luta. E pelo que sei, a endometriose dificulta muito mas não impossibilita. Esperança*

Green disse...

Nunca tinha ouvido falar, mas muito obrigada pela partilha.
Se este é um problema que estejas a atravessar, desejo-te a maior das sortes para o resolveres.